BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Capitulo I - Parte 1


Doze anos depois

— Então? O que acha? — Vanessa largou os panfletos turísticos sobre a mesa do restaurante.
Sabia de antemão o que Zachary acharia da propaganda prometendo praias de areias alvíssimas, águas azuis e mais esportes náuticos do que se podia imaginar. E românticas noites tropicais, claro.
Zachary olhou através da janela do restaurante para o céu cinzento e para a neve derretida nas calçadas.
— Ouvi dizer que a temperatura em Nashville continuará abaixo de zero pelo resto da semana.
Então, um sorriso lento revelou as covinhas nos cantos da boca que tanto encantavam Vanessa, as mesmas que vinham destroçando corações desde o curso primário.
— Sol, areia e sexo. Existe coisa melhor? — Zachary se pôs a folhear os panfletos. — Alguma ocasião especial?
— Podemos dizer que sim. Você está olhando para a nova diretora de marketing da Capshaw & Griffen. E o melhor: a promoção vem junto com uma sala maior, toda envidraçada, e um excelente aumento de salário.
— Mas que bela notícia! — Ele pegou-lhe as mãos por sobre a mesa.
A genuína satisfação de Zachary aprofundou suas covinhas adoráveis. Mesmo após todos aqueles anos de amizade, o coração de Vanessa batia mais forte toda vez que ele sorria.
— Eu mal podia esperar para lhe contar. — De fato, ela precisou fazer força para não chamá-lo pelo celular, preferindo que partilhassem a boa nova em companhia um do outro.
— Bem merecido. Você é brilhante e tem se esforçado muito nesses últimos oito anos. Como Charles recebeu a notícia?
Pobre Zachary... Quantos almoços de fim de semana precisou agüentar durante as tribulações de Vanessa com seu arquiinimigo, Charles Langley? Talvez o mesmo número de vezes que ela o apoiou e confortou.
— Não muito bem. — Vanessa mordeu um pedaço de pão de queijo. — Demitiu-se esta manhã quando soube de minha promoção. Bons ventos o levem!
— Mais uma vez, muito bem merecido. Aquele homem infernizou sua vida durante dois anos inteiros. Confesso que mais de uma vez me vi desejando encontrá-lo sozinho em um beco escuro, para esmurrá-lo. — Zachary estava sempre pronto a lutar por ela.
— A vingança foi mais doce desse modo. Isso é para Charles aprender a jamais subestimar uma mulher com planos. — Vanessa colocou algumas azeitonas no pratinho do pão e passou-as a Zachary.
— Planos e uma veia competitiva como a sua. Você agora deve ser a mais nova diretora de marketing da história da empresa.
Ela sorriu.
— Mas veja quem está falando... o maior sucesso em vendas da Rooker Sports Equipamentos em pessoa!
Zachary devorou as azeitonas, aceitando o elogio. Sabia que, para Vanessa, suas realizações significavam tanto quanto as delas.
— Esse excelente aumento... de quanto foi exatamente?
— Quer saber se vou ganhar mais do que você? — Ela meneou a cabeça. — Jamais lhe direi de quanto foi, mas vamos dizer que... estou alcançando rápido o seu patamar. Mas e então? Não acha que será divertido ir à Jamaica comigo e com Elliott? Com sua namorada, claro. — Pegou uma fatia de tomate com o garfo. — Diga que sim. Gostaria muito de tê-lo conosco. Por falar nisso, quem é sua namorada atual?
— O nome dela é Kiki. É muito simpática.
— Sim. Todas elas o são.
E na verdade eram, tanto que após partirem para a próxima, elas e Zachary continuavam sendo amigos, formando, assim, um grande e feliz harém que nunca parava de espantá-la.
— Você muda de namorada como muitos homens mudam os canais de esportes na televisão.
Zachary arqueou as sobrancelhas, com malícia em seus olhos verdes.
— Saiba que existem excelentes canais de esportes, Vanessa, e se ficarmos parados muito tempo em um só, acabaremos perdendo muita coisa boa passando nos demais.
Ela suspirou. Preocupava-se muito com Zachary e seus relacionamentos.
— Pode ser... Mas sejamos sinceros, você tem uma forte tendência a sentir-se atraído por mulheres não muito brilhantes.
— Está querendo dizer que as inteligentes não querem nada comigo?
Como não? Um homem bonito, sensual e cativante como ele? Zachary era um amigo maravilhoso, engraçado, atencioso, prestativo e carinhoso... mas em todos aqueles anos não foi capaz de estender a mesma atenção a nenhuma de suas namoradas.
— Estou dizendo que mulher alguma em seu juízo perfeito se envolveria com um rapaz que troca de canal a todo instante. — Vanessa classificou o sorriso dele como maldoso.
— Talvez eu ainda não tenha encontrado um canal que me impressionasse e me prendesse.
Vanessa estremeceu, diante da sugestão sensual na resposta muito masculina, o que a colocou em estado de alerta. Não havia por que confessar-lhe que, na privacidade de seu quarto, ela pensava muito nele, mas não apenas como amigo. No entanto, canais especiais, impressionantes ou não, não cabiam dentro de uma amizade.
— Sobre o que vocês conversam quando saem juntos? — Vanessa estava curiosa.
O que o seduzia nesse tipo de mulher, além da óbvia atração física? Sexo apenas não bastava para tornar um relacionamento duradouro.
Zachary deu de ombros.
— Não penso em conversas profundas quando estou com elas. É por você que procuro quando quero discutir a paz mundial.
Algumas vezes eles falavam durante horas sobre tudo e sobre nada. Em outras ocasiões, passavam longas horas juntos em confortável silêncio.
— Estive pensando sobre isso e decidi que você é emocionalmente imaturo.
— Sou homem, meu bem, e por isso tenho pleno direito de ser emocionalmente imaturo.
Vanessa detestava quando Zachary se recusava a levá-la a sério.
— E tem se saído muito bem nisso. Vá em frente e divirta-se. Algum dia aparecerá alguém que partirá seu coração. Então, saberá o que é sofrer por amor.
— Isso jamais acontecerá.
— Como pode estar tão certo?
— Sempre se poderá mudar de canal, antes de começar a se interessar pelo jogo. — Zachary pegou o prato de salada e serviu-se. — De qualquer modo, poderei contar com você para me ajudar a recolher os cacos, srta. Certinha. Diga, tem certeza de que Kiki e eu não vamos aborrecer seu namorado?
— Absoluta. Garanto que Elliott não se importará quando eu disser que vocês irão conosco.
A viagem seria bem mais divertida com Zachary. E com... Kiki.
— Então não o informou de que pretendia nos convidar? — Zachary sorriu. — Quer dizer que você coordena toda a viagem e o avisa apenas do dia e da hora em que deverá comparecer ao aeroporto?
— Mais ou menos isso. Elliott prefere assim. Ele anda muito atarefado.
— Vocês dois discutem alguma coisa além da paz mundial? — Zachary reverteu a situação.
Sendo professor de literatura grega e romana na Universidade de Vanderbilt, Elliott era sempre tão sério e compenetrado que um leve toque de frivolidade não lhe faria mal.
— De vez em quando. Nós dois estamos precisando de alguns dias longe do trabalho.
Vanessa esperava que a viagem de férias agilizasse o relacionamento estagnado dos dois. Aquela temporada de férias na Jamaica faria bem a ambos.
Naomi, a garçonete que costumava servi-los, se aproximou, como sempre, encantada com Zachary.
— O mesmo de sempre? — ela se dirigiu e Zachary, que fez um sinal positivou com o polegar. — Ótimo. Vão dividir uma baklava?
— Não, obrigada.
— Sim. Uma baklava e dois garfos Zachary discordou de Vanessa.
Naomi tornou a sorrir, sonhadora, ao se afastar.
Zachary causava aquele efeito em mulheres de todas as idades, nas muito jovens e até nas mais velhas, encantando todas, sem exceção. Vanessa agradeceu a Deus, e não pela primeira vez, pelo fato de ser imune a ele.
— Só vou querer um pouquinho. — Ela se permitiria pelo menos uma porção daquela delícia de bolo de nozes e mel. — Mas não me deixe abusar.
— Fique tranqüila. Bem, quando é que vai começar a me contar o que anda tramando?
— Como assim?
Ele se recostou no espaldar, cruzando os braços.
— É óbvio que anda maquinando algo.
Vanessa sabia de antemão como Zachary receberia a notícia. Às vezes achava que o conhecia melhor do que a si mesma.
— Na realidade, estou, mas acho que isso não é nenhum crime.
Ela não fazia nada sem antes planejar. Já tivera surpresas suficientes para a vida inteira, aos seis anos, quando seus pais viraram seu mundo de ponta-cabeça. Desde então, passou a delinear cada passo que dava. Depois dos vinte anos, passou a se devotar por inteiro à construção da carreira, e alcançara aquela meta dentro do cronograma. Agora era vez de investir na vida pessoal.
Próximo capitulo 2 comentários:)

6 comentários:

eternamente zanessa disse...

ameiiiiii lindoooo posta logo estou anciosa bjsss

Bêlinhàᬬ disse...

ameii a historia ;D
quem dera eu ter um amigo lindo dessse hihi' anciosa pro proximo capitulo posta logoo Beijoos

evelly disse...

oiii eu comecei a ler sua fic hoje!
e achei a historia bonita e diferente
o cap ta maravilhoso!
posta logo!
beijos

evelly disse...

oi eu queria saber se vc ainda vai continuar com essa fic por que eu comprei o livro e queria saber se vc nao fosse mais se eu pudesse postar no meu blog e que eu me apaixonei e tenho certeza que minhas seguidoras vao gostar tbm! mas e so se vc nao for mais ta? bjs.

Duda disse...

Nossa ta um maximo esse capitulo!!posta logo tu etas me deixando muito curiosa!!bjoo
aah sera q tem como vc divulgar meu blog?
http://historiasdadudazanessa.blogs.sapo.pt/

Rosanny Araújo disse...

http://jemi-micorazonesparati.blogspot.com/ Meninas, acabei de postar o primeiro capítulo da minha fic, gostaria que vcs dessem uma passada no meu blog, lessem e comentassem, ah e o seguissem também... Quero saber o que acharam para que eu possa postar os outros capítulos que já estão prontos, obrigada pela atenção!